Loading...
Para uma história da FAPESP: marcos documentais, v. 2

Para uma história da FAPESP: marcos documentais, v. 2

Livro Ano: 1999

Livro de autoria de Amélia Império Hamburger, Marilda Nagamini e Shozo Motoyama (orgs.), publicado em 1999. Resumo: […] Quanto ao Segundo volume da obra, […] ele traz documentos primários decisivos para a história da Fundação e para sua melhor compreensão. Entre estes destacam-se, além do conhecido artigo 123 da Constituição de 1947, textos de cientistas que fundamentaram a discussão para a criação da Fapesp, discurso de deputados estaduais em que se discutia a questão, documentos produzidos pela USP, decretos que instituem comissões para estudar a constituição da Fapesp, atas, projetos de lei, a lei que cria a Fapesp, decreto aprovando os estatutos da Fundação, a emenda constitucional 39, documentos de discussão no momento da constituinte de 1989, e outros. […] A Fapesp não é um organismo de fomento à pesquisa pautado por procedimentos determinados exclusivamente por ações que se configuram estritamente no seu interior, ou estritamente no interior do domínio da ciência. O que a Fapesp soube muito bem-fazer foi ser uma instituição que resultou de uma efetiva participação de um segmento da sociedade, os cientistas, não sendo simplesmente o resultado de uma ação do Estado ou de Governos. Ou seja, a Fapesp não tem sido, na sua história, um organismo cooptável pelo poder. – Resenha elaborada por Eduardo Guimarães para ComCiência (2001).

Autoria: Amélia Império Hamburger, Marilda Nagamini, Shozo Motoyama (org.)

Disponível no CM-FAPESP